saudeLOGO Created with Sketch.

Colchão: como escolher o modelo ideal

Os acessórios noturnos desempenham um papel essencial na qualidade do sono: previnem desde dores na coluna até alergias. Saiba como escolher

Não basta apalpá-lo. Na hora de comprar, deite no modelo escolhido e fique ali por alguns minutos até ter certeza de que quer levá-lo para casa
Foto: Getty Images

Dormir profundamente estimula diversos processos metabólicos no corpo. Mas nada faz efeito se sua cama não for confortável. Para nossa sorte, colchões e travesseiros evoluem cada dia mais. “Antigamente, eles eram feitos com crina animal, vegetal e algodão”, conta Felipe Bettoni, diretor da fábrica mais antiga de colchões de São Paulo, a Colchoaria Bettoni. Hoje, com tanta novidade, basta optar pelo que mais se adapta ao seu corpo, ou seja, aquele que deixa a coluna mais alinhada.

No que ficar de olho

Espessura: quinze centímetros já seriam suficientes para proporcionar uma noite confortável.

Altura da cama: ela deve ficar no mínimo a 30 centímetros do chão. Essa distância garante uma ventilação adequada.

Estrado ou box? O estrado ganha no quesito circulação de ar, o que evita irritações na pele provocadas pelo excesso de suor.

Tamanho: o colchão pequeno restringe os movimentos durante a noite.
   
Tipos de colchão
    
Mola: a estrutura é formada por fios de aço inox com formato cilíndrico, cônico ou bicônico – semelhante a uma ampulheta. Dura até três anos.

Espuma: existem vários modelos, desde os mais duros até os extramacios. Mantenha-os sempre secos e use-os por no máximo cinco anos.

Látex: feito de borracha derivada da seringueira, se molda facilmente ao corpo e volta ao formato inicial sem resistência. Troque a cada dez anos.

Alternativos: há também aqueles de ar e de água, mas que não são recomendados para o uso diário, a não ser que haja uma indicação médica.
    
Glossário
    
· Bonnel: sistema de molas mais antigo e tradicional, com fios de aço.

· Compensado: tipo de madeira mais usado na fabricação de camas, inclusive da box.

· Densidade: definição técnica para o peso que a espuma pode suportar.

· Double side: o famoso colchão dupla face. Os dois lados podem ser usados sem preocupação.

· Dupla densidade: colchões com faces diferentes. Geralmente um dos lados é firme e o outro é extrafirme.

· Jacquard: tecido usado para revestir travesseiros, fronhas e lençóis.

· Pocket: molas ensacadas de maneira individual. Apesar de esse tipo ser vendido como novidade, existe desde 1976.

· Poliframe: estrutura de espuma usada como suporte, principalmente para colchões de mola.

Como cuidar
    
· Quando for virar o colchão, coloque a parte dos pés onde fica a cabeça e depois inverta as faces. Repita o procedimento todos os meses.

· A troca de colchões deve ser feita de acordo com o material usado na fabricação de cada um. Duram de três a dez anos.

· Substitua os travesseiros a cada 24 meses para evitar a proliferação de bichos como ácaros, que causam problemas respiratórios.

· Não molhe nem um nem outro. Mas, caso aconteça, não os deixe ao sol. Micro-organismos adoram se multiplicar em ambientes úmidos e quentes.

· Adquira uma capa antiácaro. Coloque-a sob a fronha e os lençóis para proteger contra alergias. Lave-as semanalmente.