Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

AVC em mulheres: causas, sintomas, prevenção e tratamento

Os motivos por trás dos derrames no sexo feminino são vários - e conhecer os sintomas é importante. Aproveite o Dia da Mulher e se informe!

Por Theo Ruprecht - 8 Mar 2018, 18h18

Pela primeira vez, mais mulheres brasileiras sofreram com AVC do que os homens. Por quê? E há particularidades no que se refere a causas, sintomas e tratamento? No Dia Internacional da Mulher, a SAÚDE se propôs a responder essas e outras questões sobre os derrames no sexo feminino.

Para isso, convidamos a neurologista Danyelle Sadala, da Academia Brasileira de Neurologia, para uma entrevista em vídeo, gravada originalmente ao vivo pelo Facebook. Especialista em doenças cerebrovasculares, ela destaca que as mulheres devem, antes de tudo, conhecer os sintomas de um AVC para agir rapidamente e, assim, diminuir o risco de sequelas mais graves.

Danyelle trouxe uma forma fácil de identificar os sinais do AVC: lembre-se da sigla do SAMU:

S  de sorriso: durante um derrame, é comum não conseguir sorrir com os dois lados da boca.

Continua após a publicidade

A de abraço: outro sinal é a dificuldade para abraçar alguém. Se é difícil erguer um braço, cuidado!

MU de música: a dificuldade para cantar ou falar é outro indício.

Se, de repente, você sentir algum desses sintomas, ligue para o SAMU: 192. Dores súbitas de cabeça também exigem atenção – e, durante o vídeo, a doutora traz tantos outros sinais.

Além disso, a doutora explica os diferentes tipos de AVC e como cada um exige tratamentos diferentes. E, de sobra, aponta métodos terapêuticos novos que estão chegando aos hospitais. Não dá pra perder!

Publicidade