Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Um raio x da passiflora

A família do maracujá faz muito mais do que dar aquela acalmada

Por Redação Saúde é Vital - Atualizado em 26 out 2016, 10h00 - Publicado em 24 ago 2016, 10h19

Entre as mais de 400 espécies de gênero passiflora, a família do maracujá, a incarnata, a edulis e a alata se destacam por seus efeitos calmantes. Suas folhas, ricas em alcaloides de flavonoides, têm ação sedativa e antiespasmódica. A planta age como um tranquilizante leve, sem causar dependência. 

Mas os benefícios do famoso chazinho de maracujá não param aí: componentes das flores, como mucilagens e pectina, atenuam inflamações, o que ajuda no tratamento de gastrites e úlceras. Quem está com a garganta dolorida também encontra alívio fazendo gargarejos da infusão. Não à toa, a passiflora entra na composição de muitos fitoterápicos. 

Leia mais: Maracujá: o segredo da fruta está na casca!

Agora, atenção: quem tem hipotensão e sonolência não deve usar. O extrato potencializa a ação de sedativos e álcool. Doses elevadas intoxicam e deprimem o sistema nervoso central. 

Receita para diminuir a tensão
Em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de sopa de folhas bem picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Beba duas doses ao dia, de preferência antes de se deitar. O suco não tem tanto efeito sedativo: os princípios calmantes se concentram mais nas folhas. 

Publicidade