Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Massagem cardíaca: campanha ensina como fazer direito

Iniciativa de um hospital carioca orienta toda a população brasileira sobre a técnica. E ensina como ela deve ser realizada de um jeito diferente

Por Maria Tereza Santos 23 ago 2018, 14h11

“Como fazer massagem cardíaca?” Na hora de uma emergência como a parada cardiorrespiratória, não dá tempo de escrever isso no Google. E o problema é que a maioria das pessoas não sabe como fazer a técnica corretamente. Pensando nisso, a Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, criou a campanha Amigos pelo Coração, com o objetivo de ensinar essa manobra à população leiga.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 200 mil paradas cardiorrespiratórias ocorrem no Brasil anualmente – metade dos casos são registrados fora dos hospitais. Dados da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (Sobrac) mostram que cada minuto sem socorro diminui de 7% a 10% a chance de sobrevida das pessoas.

Segundo Gustavo Gouvêa, cardiologista da Casa de Saúde São José e idealizador do projeto, a literatura científica internacional revela que a ressuscitação cardiopulmonar feita por leigos treinados pode ser bem-sucedida de 50% a 75% das vezes.

Na Europa e nos Estados Unidos, a população é instruída desde a infância, mas infelizmente isso não é comum no Brasil. “Um dos nossos objetivos é propor que esse método seja ensinado de forma sistemática nas escolas, tanto privadas como públicas”, afirma o médico.

A campanha – e como fazer a massagem cardíaca

A equipe produziu vídeos ensinando o passo a passo da técnica. Detalhe: a banda Barão Vermelho se uniu à iniciativa para ajudar nesse aprendizado.

Continua após a publicidade

Como assim? Eles regravaram a música “Meus bons amigos” para virar o tema da campanha. E o bacana é que ela tem o mesmo ritmo da massagem cardíaca.

“Se as pessoas ficarem com a batida dessa canção na cabeça durante a massagem e a fizerem de forma eficaz, conseguirão manter os pacientes vivos até a chegada do socorro”, explica Gouvêa.

Usando essa estratégia, você garante a taxa correta de compressões torácicas, que deve ficar entre 100 e 120 por minuto. No vídeo abaixo, você vai entender melhor como é o procedimento:

Para quem mora na capital do Rio de Janeiro, também haverá a oportunidade de aprender o método pessoalmente. Durante o mês de setembro, ocorrerão treinamentos gratuitos na Casa de Saúde São José. Para se inscrever e saber as datas e horários, é só acessar o site do projeto.

“A mensagem que queremos deixar é de que qualquer um pode salvar uma vida, desde que tenha um conhecimento mínimo do procedimento. É simples e não é necessário ser um profissional da saúde para saber fazer”, conclui o especialista.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)