Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Como se curar da gripe?

Não tem como escapar: fazer repouso e tomar remédios estão entre os principais tratamentos para amenizar os sintomas da doença

Por André Biernath - Atualizado em 3 Maio 2019, 10h29 - Publicado em 9 abr 2018, 12h23

Para se curar – ou melhor, tratar – a gripe, o paciente deve repousar e beber bastante água. Com supervisão do médico, ele pode recorrer a um antiviral ou outros remédios (antitérmicos, analgésicos…) que controlam os sintomas da doença, como febre e dores. Em sete dias, a infecção costuma perder a força.

Prevenção é o melhor remédio

Com a chegada dos meses mais frios do ano, é natural que a temporada de espirros, nariz escorrendo, febre e calafrios volte a dar as caras. Os casos de gripe aumentam no outono e no inverno por vários motivos, entre eles a maior atividade do vírus influenza, causador da condição, e também pelo fato de as pessoas ficarem mais tempo em ambientes fechados, o que facilita a transmissão.

Para fugir da encrenca, o passo número um é tomar a vacina. Outra maneira de evitar o problema é lavar as mãos com regularidade, principalmente ao chegar em casa, no trabalho ou na escola. Vale a pena também cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar com as mãos ou o braço, não compartilhar objetos de uso pessoal, como toalhas e talheres, e manter os cômodos bem arejados.

Infelizmente, por mais que essas medidas sejam importantes e ajudem a prevenir a maioria dos casos, têm vezes que o vírus da gripe pega a gente de qualquer jeito. Daí é preciso lançar mão de uma série de estratégias para diminuir o tempo de infecção e o risco de complicações posteriores, como uma pneumonia.

Continua após a publicidade

Sem tirar o pijama

Não se sente bem? O primeiro passo é ficar de cama. Como a gripe dá febre, dor muscular e mexe com o corpo todo, é natural se sentir esgotado. Além de ajudar na recuperação, permanecer em casa evita que você repasse, mesmo sem querer, o vírus para colegas e familiares e, assim, ajude a aumentar a estatística de casos.

Se você perceber que os sintomas estão piorando a febre só aumenta ou o catarro mudou de cor é bom visitar o pronto-socorro. “A assistência médica vai investigar o que está acontecendo e agir com rapidez. Em alguns casos, quando o quadro ainda está nas primeiras 48 horas, é possível iniciar um tratamento com um remédio antiviral específico”, orienta a clínica-geral Telma Carvalhanas, diretora técnica da Divisão de Doenças de Transmissão Respiratória da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo.

Farmácia de prontidão

Nas situações menos graves, vale recorrer a outros medicamentos mais comuns, como os antitérmicos, os analgésicos, os anti-inflamatórios e os anti-histamínicos. Eles não curam a gripe em si, mas reduzem o incômodo dos sintomas da doença, como a febre, a dor no corpo e o nariz escorrendo.

Antes de tomar esse batalhão de comprimidos, porém, converse com seu médico. Ele vai analisar seu caso e verificar se não há nenhuma contraindicação ao uso dos fármacos.

Continua após a publicidade

Por fim, para se manter bem hidratado, capriche nos goles d’água. Caso esteja difícil para respirar, lave as narinas com soros especiais disponíveis nas farmácias. O profissional de saúde pode indicar o produto mais adequado para as suas características.

Na alimentação, fuja dos pratos muito condimentados ou cheios de gordura. Invista em itens leves e de fácil digestão.

Dentro de sete dias, é natural que a enfermidade perca sua força e o sistema imune consiga neutralizar o ataque do vírus influenza às células do trato respiratório superior. Caso a chateação não dê sinais de melhora, visite o hospital para conferir se não é algo mais grave.

Publicidade