saudeLOGO Created with Sketch.

Brasil bate meta de vacinação da gripe, mas alguns grupos decepcionaram

Mais de 90% do público-alvo inicial foi vacinado na campanha contra a gripe de 2019. Mas certos grupos de risco e regiões deixaram a desejar

Mais de 53,5 milhões de pessoas dos grupos prioritários (professores, gestantes, crianças…) procuraram os postos de saúde para recebar a vacina contra a gripe, até o dia 24 de junho, como parte da campanha nacional contra a doença. Isso supera 90% dessa turma, que era a meta estipulada pelo governo para 2019. Também foram imunizadas 5,6 milhões de brasileiros que não integram os grupos de risco.

O público-alvo teve entre os dias 10 de abril e 31 de maio para receber sua dose com exclusividade. Desde essa data, as vacinas estão sendo distribuídas a todos os interessados até o fim dos estoques.

“Apesar de atingir a meta nacional, nem todos os grupos conseguiram alcançar os 90% de cobertura”, informou o ministério, em notaCrianças (82,8%), gestantes (81,8%), pessoas com doenças crônicas (86,3%), profissionais das forças de segurança e salvamento (48,5%) e a população privada de liberdade (74,8%) ficaram com taxas abaixo do ideal. Isso significa, por exemplo, que mais de 2,6 milhões de crianças e 3,8 milhões de gestantes deixaram de se proteger.

Veja também

Atingiram a marca de 90% de vacinação:

  • Trabalhadores de saúde
  • Puérperas
  • Indígenas
  • Idosos
  • Professores
  • Funcionários do sistema prisional

De acordo com o Ministério da Saúde, os dados mostram ainda que 18 estados e o Distrito Federal conseguiram vacinar ao menos 90% do público-alvo. Por outro lado, Acre, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul ficaram aquém do desejado.