Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 5,90/mês

Cérebro em forma, não importa a idade

Inclusive após a sexta década de vida, adotar um regime de treinos turbina o raciocínio

Por Theo Ruprecht - Atualizado em 16 jul 2020, 21h30 - Publicado em 26 jul 2020, 09h02

Como atestar se os exercícios mexem com os neurônios até em pessoas mais velhas? Especialistas da Universidade de Calgary, no Canadá, recrutaram 206 adultos com idade média de 66 anos e aplicaram um treinamento progressivo. Ele começava com três sessões semanais de até 20 minutos de práticas aeróbicas moderadas, evoluindo para até 40 minutos ao fim de seis meses.

Antes e depois desse protocolo, os cientistas aplicaram testes que determinaram a fluência verbal e a função executiva de toda a turma. E ambas foram aprimoradas!

“Em um momento da vida no qual esperamos uma queda das habilidades cognitivas, observar uma melhora é animador”, destaca o educador físico Marc Poulin, que assina a investigação. Por meio de exames de ultrassom, notou-se um acréscimo no fluxo sanguíneo cerebral, o que justificaria o aguçamento das faculdades mentais.

O que é fluência verbal?

Ela é avaliada por testes em que se pede à pessoa para lembrar o maior número de palavras que ela conhece sobre um tema. Os resultados indicam a capacidade de guardar memórias e se comunicar. No estudo, houve melhora de 2,4% na fluência verbal.

O que é função executiva?

Ela responde por um conjunto de habilidades, que vão de planejamento a autocontrole, passando pela concentração. O experimento canadense mostra que um semestre de exercício físico aprimorou em 5,7% a função executiva.

Continua após a publicidade
Publicidade