Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

O Futuro do Diabetes

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Carlos Eduardo Barra Couri é endocrinologista, pesquisador da USP de Ribeirão Preto e criador do Endodebate e do Diacordis. Aqui ele mapeia os cuidados e os avanços para o controle do diabetes
Continua após publicidade

Novo remédio para emagrecer, tirzepatida pode fazer bem ao fígado

Achados vêm de estudo apresentado em congresso europeu e chamaram a atenção da comunidade médica

Por Carlos Eduardo Barra Couri
12 jun 2024, 15h49

Nos últimos meses, a tirzepatida tem ganhado o noticiário pela sua grande eficácia na redução do peso corporal, nunca vista dentre os medicamentos já aprovados no mundo.

Ela tem uma proposta parecida com a da semaglutida, princípio ativo do seu concorrente Ozempic, com a diferença de que simula a ação de dois hormônios no organismo — além do GLP-1, o GIP.

E sua ação no peso parece ser apenas a ponta do iceberg. Esta molécula injetável semanal tem se mostrado útil no controle da pressão arterial, da glicose, dos triglicérides e de outras condições ligadas ao excesso de peso.

Neste mês de junho, durante o Congresso da Associação Européia para Estudo das Doenças do Fígado, realizado em Milão, na Itália, mais um capítulo deste livro foi escrito: foram apresentadas evidências de redução da gordura e da fibrose no fígado com tirzepatida.

O estudo SYNERGY-NASH, discutido no evento, incluiu 190 participantes com idade e peso médios de 54 anos e 100kg. Cerca de 58% tinham diabetes tipo 2. A grande maioria dos voluntários tinha fibrose hepática grau 2 ou 3 (o grau 4 significa cirrose). Metade utilizou placebo associado a alimentação saudável e exercícios regulares e a outra metade utilizou a tirzepatida.

Continua após a publicidade

Depois de um ano de acompanhamento, cerca de 60% daqueles que receberam o medicamento tiveram uma melhora completa da inflamação do fígado sem piora da fibrose.

Cerca de 55% apresentaram redução de pelo menos um grau de fibrose. A redução da gordura hepática foi de 57%, verificada pelo exame de ressonância magnética.

+ Leia também: Já olhou para o seu fígado?

A principal hipótese para explicar a expressiva melhora dos parâmetros hepáticos foi a redução do peso corporal. Nos participantes com diabetes, a diminuição média foi de 18% e, naqueles sem a doença, de 14%.

Continua após a publicidade

Vale destacar que trata-se apenas de um estudo de fase 2 (a saber, são 3 fases antes antes da aprovação do medicamento), mas os resultados são impressionantes. De qualquer forma, mais pesquisas são necessárias para comprovar eficácia e segurança nesse contexto, com um tempo de acompanhamento mais longo e um número maior de participantes.

A esteatose hepática é uma condição muito comum, presente em cerca de 30% da população mundial e em 80% daqueles com diabetes. Pode ser uma causa de cirrose, câncer de fígado e até levar a um transplante hepático. Os desfechos cardiovasculares são as principais causas de morte nesta população.

No Brasil a tirzepatida foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o tratamento de diabetes tipo 2, mas ainda não está disponível nas farmácias. A expectativa é que ela chegue às farmácias no segundo semestre de 2024.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.