Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
O Futuro do Diabetes Por Blog Carlos Eduardo Barra Couri é endocrinologista e pesquisador da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), além de autor do livro O Futuro do Diabete (Ed. Abril). Aqui ele mapeia os cuidados e os avanços para o controle do problema

A cápsula inteligente que aplica insulina sem causar dor

Colunista fala de experimento americano que traz uma solução irreverente para o tratamento do diabetes

Por Dr. Carlos Eduardo Barra Couri Atualizado em 10 abr 2019, 17h59 - Publicado em 13 fev 2019, 15h12

Soa no mínimo animador para o controle do diabetes um estudo publicado há pouco na revista científica Science por pesquisadores do prestigiado MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos. Uma equipe desse centro desenvolveu e testou cápsulas que contêm uma miniagulha junto a uma pequena dose de insulina.

Futurista demais? Veja só como funciona: quando o indivíduo com diabetes ingere a cápsula em jejum, ela se gruda à parede do estômago e automaticamente aplica a injeção de insulina. A microagulha perfura menos de 4 milímetros do órgão, liberando o hormônio ali.

Esse processo não provoca dor ou qualquer desconforto nem altera o apetite. A temperatura típica do abdômen tampouco interfere na viabilidade da insulina aplicada.

E por que é que o MIT quebrou a cabeça numa tecnologia desse tipo? Ora, muitos pacientes têm pavor das aplicações diárias de insulina na pele. Há quem enfrente o medo em si, há quem permaneça com receios originários de mitos difundidos ao longo dos anos por aí. Isso dificulta demais a indicação da insulina no consultório bem como a adesão ao tratamento.

A sacada ainda em fase de pesquisa é que, ao engolir uma cápsula, mais gente poderá usufruir da insulinização com maior comodidade. É importantíssimo ressaltar, porém, que os resultados promissores ainda se restringem a testes com animais. Devemos aguardar a próxima etapa, que é verificar a segurança e a eficácia do método em seres humanos.

O interessante é que, segundo os autores do experimento, essa maneira inusitada de aplicar insulina (usando cápsulas que se aderem à parede do estômago) também poderá ser usada para a administração de outros medicamentos no futuro.

São, sem dúvida, cenas de um próximo capítulo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)