Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Quais são os riscos de ficar sem um dente?

Dentista explica por que você deveria resolver esse problema o quanto antes

Por Fernanda Oliani, dentista*
17 jun 2024, 08h08

Perder um ou mais dentes pode ser muito traumático para algumas pessoas, pois afeta diretamente a aparência, causando constrangimentos ao falar e sorrir. Mas o problema da ausência dentária vai muito além da estética —  impacta a saúde sob vários aspectos.

Pacientes com perdas dentárias totais ou até mesmo parciais têm dificuldades na mastigação, fala e socialização, inclusive no  desenvolvimento de relacionamentos por conta do abalo na autoestima.

O problema tem diversas causas, como quebras (fraturas), extrações (como no caso de dentes sem possibilidade de serem recuperados ou mantidos), doença periodontal, etc. A ausência pode acarretar diversas consequências no dia a dia, como:

Machucados na gengiva

A falta de um dente deixa a gengiva desprotegida, podendo gerar lesões na região.

Dor

A queixa de dor no maxilar é muito comum entre os indivíduos com ausência dentária. O desequilíbrio na arcada dentária pode desencadear traumas, desgastes e  inclusive influenciar em dores nos músculos da face e articulação da mandíbula (ATM).

Perda óssea

Quando o dente não está presente, os tecidos que dão suporte a ele, osso e gengiva, perdem sua função e como consequência ocorre o processo chamado de reabsorção.

Continua após a publicidade

A diminuição da disponibilidade óssea pode dificultar a colocação de implantes e restabelecimento da função e estética.

+ Leia também: A última geração dos implantes dentários

Movimentação dos outros dentes

O desalinhamento do sorriso também é muito comum quando há um ou mais “buracos”. Isso ocorre por conta de uma movimentação natural dos dentes remanescentes com o objetivo de preencher essas lacunas e restabelecer o contato pré-existente.

Mastigação prejudicada

Com a falta dos dentes há uma diminuição da eficiência mastigatória; os alimentos não são corretamente quebrados mecanicamente em uma textura mais fina, dificultando o processo de digestão desse alimento.

Resolver essa questão o quanto antes é algo necessário para o equilíbrio da saúde como um todo. Para isso, se realiza um tratamento com próteses dentárias e isso pode ocorrer em diferentes fases da vida. Muitas pessoas acreditam que implantes dentários são apenas para idosos, mas eles podem ser realizados a partir dos 18 anos, quando a dentição e desenvolvimento ósseo estão completos e o paciente tem maturidade para passar pelo procedimento cirúrgico.

Continua após a publicidade

Se é uma perda precoce ou congênita, a criança ou jovem vai precisar aguardar este período de crescimento. No entanto, o dentista usa técnicas para preservar aquele espaço, possibilitando assim que no futuro ele faça o implante, mas também resolvendo imediatamente o incômodo estético causado pela falha com técnicas restauradoras e aparelhos protéticos.

Antes de tudo, é fundamental passar por uma avaliação clínica com um especialista na área, que também solicita exames de imagem como radiografias e tomografia computadorizada.

Com a evolução da odontologia, não somente na questão material e tecnológica, mas no tratamento mais humanizado, é possível encontrar opções que atendam às diferentes necessidades e que englobam estética, função e longevidade.

* Fernanda Oliani, dentista e consultora técnica da Oral Sin

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.