Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês
Pet Saudável Por Blog Mario Marcondes, veterinário e diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira (SP), traz orientações preciosas para quem ama seus bichos de estimação

Os maiores aliados em tempos de isolamento social pelo coronavírus

São os animais de estimação! Nosso colunista fala dos ganhos com a convivência nesse período e aponta cuidados para que eles não passem nenhum perrengue

Por Dr. Mario Marcondes - Atualizado em 17 abr 2020, 12h43 - Publicado em 28 mar 2020, 09h39

Muitos já são os estudos que demonstram que a companhia de um pet faz diferença para melhorar sintomas de ansiedade e depressão. Também se observa que o convívio com animais de estimação eleva a qualidade de vida das pessoas mais velhas, especialmente diante da síndrome do ninho vazio, quando os filhos saem de casa.

E em tempos de coronavírus e isolamento social? Saiba que os bichos ajudam a conservar nossa saúde mental.

Existem pesquisas mostrando que a convivência com um pet aumenta a concentração, em nosso sangue, de uma substância chamada serotonina, já apelidada de hormônio da felicidade. A presença de um mascote por perto também reduz nossos níveis do hormônio do estresse. Está aí a explicação fisiológica de por que nos sentimos tão bem junto aos nossos pets.

Desse modo, os animais podem nos auxiliar a enfrentar com menos estresse períodos de quarentena ou distanciamento social, como o que atravessamos no mundo todo. E isso vale sobretudo para os idosos, que, por estarem no grupo de risco para o coronavírus, devem se isolar ainda mais.

Continua após a publicidade

Para que possamos retribuir o carinho e benefício da sua companhia, não podemos nos esquecer dos cuidados com os animais nesse momento. Certifique-se de manter um estoque de ração em quantidade adequada, bem como medicamentos de uso crônico, caso o bicho dependa deles. Manter a vacinação em dia também é importante, porque diminui a necessidade de ter de correr para o veterinário diante de uma infecção inesperada.

Além disso, é bacana oferecer brinquedos e petiscos para divertir o bicho junto à família. E lembre-se de que, ainda que você não possa sair com o pet nas ruas, é possível promover brincadeiras dentro de casa para exercitá-lo. Vale jogar bolinha, correr ao lado dele… Estímulos não faltam.

Em relação às raças que precisam se deslocar para fazer suas necessidades na rua, saia de casa mas evite aglomerações. Se o dono for idoso, convém ter uma rede de contatos para dar suporte ao animal e passear com ele nesse período. Os passeios, nunca é demais ressaltar, devem ser curtos e em locais com pouca gente.

Se a sua rotina permitir, aproveite o tempo maior para curtir seu pet. Ele certamente ficará feliz de ficar horas a mais com seus familiares. E a troca de carinho e boa energia vai ajudar a amenizar esse período difícil para todos.

Publicidade