Clique e assine com até 72% de desconto
O Fim das Dietas Por Blog Antonio Lancha Jr., professor da Escola de Educação Física e Esporte da USP e autor do livro O Fim das Dietas (Ed. Abril), indica como emagrecer sem cair em promessas furadas.

5 motivos que fazem você adiar seu projeto de emagrecimento

Objetivos irreais, perfeccionismo, desorganização... Nosso colunista traz os grandes sabotadores da perda de peso sustentável

Por Antonio Lancha Jr. 28 out 2020, 18h41

“Segunda-feira eu começo a dieta”: essa frase já ganhou até memes nas redes sociais. A nossa tradicional procrastinação inclusive é motivo de estudo. Hoje podemos compreender como o comportamento de empurrar com a barriga certas ações se relaciona com nossa vida e ainda mais com o emagrecimento.

Nós temos plena consciência de quando exageramos na alimentação e sabemos o que nos faz engordar. O fato é que mudar uma atitude requer uma quantidade de energia mental. Nosso padrão de fazer todos os dias as mesmas coisas é muito mais confortável.

Conforto é de fato a palavra-chave. Mudar requer atenção, cuidado e iniciativa. Quando pensamos em atitudes voltadas para o emagrecimento, o caminho é idêntico. O segredo é romper a inércia com o menor desconforto possível.

A primeira razão da procrastinação são os objetivos irrealistas. Na busca pela perda de peso, tendemos a colocar metas extremamente desafiadoras, que estão acima da nossa competência. Seja racional e mire em alvos possíveis, revisitando-os conforme os cumpre.

O segundo motivo para adiar seu plano de emagrecimento é a sobrecarga. Evite se desafiar durante períodos de muita demanda profissional, por exemplo. Pense que nós somos como baterias: quando o trabalho cobra energia extra, sobra pouca para organizar as demais tarefas.

Nesses momentos específicos, devemos conter os danos. Só tenha em mente que, dentro do possível, você deve batalhar por um expediente que permita momentos menos estressantes.

Continua após a publicidade

A terceira razão é a falta de organização. Imagine que está sem tempo na sua agenda e, ainda assim, se propõe a treinar todos os dias na semana que vem. Qual horário? Quais datas? O que precisa acontecer para esse projeto virar realidade? Se a resposta for “não sei” para alguma das perguntas, precisamos dar um passo para trás e reprogramar o projeto, tornando-o exequível.

Aqui vai um lembrete: o sono é o momento no qual carregamos nossas “pilhas”. Se você quer ter disposição para uma vida mais saudável, valorize-o.

  • O quarto motivo é o perfeccionismo. Se em um dia específico você perder a hora do treino, abusar um pouco no almoço ou dormir mais tarde para ver um filme, tudo bem. Retome as rédeas da sua vida no dia seguinte, sem culpa.

    Aliás, conduza seu cotidiano como o capitão de um navio, com mudanças de rota lentas e progressivas. Mais uma vez, o mundo ideal está longe da realidade.

    A quinta razão é o medo das recaídas. O tombo é o melhor que pode acontecer para aprendermos a lidar com os desafios do caminho. Se proponha a mudar, e não a ser perfeito.

    Conclusão: a procrastinação é humana. Se você deseja mudar de fato, comece reconhecendo a necessidade de mudar e dê os primeiros passos de maneira sustentável.

    Continua após a publicidade
    Publicidade