Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Com a Palavra Por Blog Neste espaço coordenado pelo jornalista Diogo Sponchiato, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde

Corrida de rua: uma forma de retomar os treinos regulares

Profissional e corredor conta como essa prática é um jeito viável e seguro de voltar a fazer atividade física no contexto da pandemia

Por Darlan Souza, profissional de educação física* Atualizado em 13 ago 2021, 11h07 - Publicado em 12 ago 2021, 10h18

Sabemos que, nos últimos tempos, muitas pessoas têm tido receio de ficar em ambientes fechados como as academias, o que acarreta certa dificuldade para manter a regularidade nos treinos. Por outro lado, também sabemos dos benefícios que os exercícios e o bom condicionamento físico trazem para a saúde, em qualquer idade.

Eis que desponta uma modalidade, muito conhecida por todos nós, que pode colaborar para a retomada da rotina de atividade física de forma gradual e sem quebrar o distanciamento social seguro: a boa e velha corrida de rua.

Ela é uma aliada não só como ferramenta para melhorar a capacidade cardiorrespiratória. Suas vantagens se estendem à captação da vitamina D com a exposição solar (algo fundamental à saúde óssea) e aos ganhos ao bem-estar mental.

A corrida pode ser praticada de forma individual ou em grupos, formados por amigos ou nas redes sociais, e hoje é enriquecida por aplicativos de celular que nos ajudam a mensurar dados como gasto calórico, distância percorrida, frequência cardíaca etc. Somos seres sociais que nascem para estar em meio à natureza: por isso nos sentimos tão bem em ficar alguns minutos em contato com as árvores, em ver pessoas e em socializar nossas conquistas.

+ Leia também: Pessoas ativas respondem melhor à vacina contra a Covid-19

Correr é uma atividade natural humana. Quando somos crianças, brincamos de correr com os colegas, só que, com o passar do tempo, vamos deixando de lado essa prática que é tão simples e requer pouco recurso. Para correr, bastam um tênis, uma garrafa de água e um tempinho por dia.

Continua após a publicidade

Cabe destacar que é fundamental começar devagar, mesmo se você já praticava antes e ficou parado nos últimos meses. E, ainda que o Colégio Americano de Medicina do Esporte preconize pelo menos 150 minutos de atividade física por semana para nos considerar ativos, essas recomendações são gerais e passíveis de serem adaptadas e personalizadas para cada indivíduo. Aliás, caso haja algum problema de saúde, é sempre prudente conversar com seu médico antes.

O fato é que muita gente me pergunta: como começar a correr de forma segura? Em primeiro lugar, reserve alguns minutos para se aquecer e se alongar antes. Depois, você pode investir num treino intervalado: corra em uma rua plana por cerca de 100 metros ou 20 segundos e, depois, caminhe 1 minuto até recuperar o fôlego. Repita essa sequência algumas vezes de acordo com seu condicionamento.

Algumas pessoas conseguem fazer isso duas ou três vezes, outras chegam até dez… O importante, contudo, é progredir gradualmente. Quando se sentir mais confiante e bem condicionado, você pode começar a correr de forma contínua e regular por mais tempo sem intervalar. E assim sucessivamente.

E, então, vamos correr?

* Darlan Souza é profissional de educação física, especialista em fisiologia do exercício, mestrando em ciências da saúde pela Escola de Artes Ciências e Humanidades da USP e corredor de rua com 30 maratonas e quatro livros no currículo

  • Continua após a publicidade
    Publicidade