Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Padrão alimentar do Brasil está entre os cinco piores do mundo

Cientistas avaliaram a composição da dieta e tendências alimentares entre adultos e crianças de 185 países. Conclusão: nosso país está mal!

Por Ingrid Luisa
Atualizado em 29 nov 2022, 12h26 - Publicado em 29 nov 2022, 12h25

A revista científica Nature Food publicou um estudo que analisa a evolução do padrão alimentar globalmente entre 1990 e 2018.

Os pesquisadores usaram o Alternative Healthy Eating Index (AHEI) para definir o que era uma dieta saudável: o índice prioriza o consumo de frutas, hortaliças, grãos integrais e fontes de gorduras boas como pescados; e pede moderação para a ingestão de carne vermelha e processada, bebidas açucaradas e redutos de sódio.

Em 2018, apenas dez países tinham pontuações consideradas adequadas por essa métrica. E os países com pontuação mais baixa incluem Brasil, México, Estados Unidos e Egito.

De acordo com a pesquisa, o aumento no consumo de industrializados ultraprocessados e a crescente desigualdade social (junto à alta nos preços dos alimentos) respondem pela situação.

+Leia Também: A dieta que funciona

Outro parâmetro, mesmo resultado

Pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública da USP também constataram um baixo valor nutricional nas refeições brasileiras.

Só que eles usaram como referência ideal a dieta da saúde planetária, proposta por uma comissão do periódico The Lancet, que preza o bem-estar das pessoas e o meio ambiente.

A avaliação atesta que só estamos atingindo 30% das metas, como comer mais vegetais e menos carne.

+Leia Também: A comida entre o ontem e o amanhã

O mapa da comida

Confira achados da análise internacional:

  • Gênero e instrução
    Globalmente, os escores de qualidade da dieta foram superiores entre mulheres e em pessoas com mais acesso à educação formal.
  • Faixa etária
    As crianças tendem a consumir menos frutas, vegetais sem amido e fontes de ômega-3 do que os adultos. E ingerem mais sódio e gordura saturada.
  • Visão geral
    A qualidade da alimentação melhorou um pouco entre 1990 e 2018 em todas as regiões, exceto no sul da Ásia e na África subsaariana.
  • Guia para o futuro
    Os pesquisadores acreditam que um olhar mais apurado sobre cada país pode guiar políticas públicas focadas numa dieta saudável.
Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.