saudeLOGO Created with Sketch.

Salmonela (bactéria do ovo estragado) é nova arma contra o câncer

Esse micro-organismo mata 380 pessoas por ano só nos Estados Unidos. Mas um tipo dele pode salvar vidas de pessoas com tumores malignos

Ela pode estar presente em ovos malcozidos e causar uma intoxicação terrível – só nos Estados Unidos, mata 380 pessoas por ano. Mas também pode ajudar a enfrentar o câncer. Um estudo publicado na revista Science Translational Medicine mostra que a salmonela, essa grande vilã da alimentação faz o sistema imunológico combater as células cancerígenas – pelo menos, em ratos.

Não era salmonela comum. Era uma versão modificada em laboratório para produzir uma proteína chamada flagelina B (FlaB). Os cientistas injetaram essa bactéria em ratinhos com câncer. Ela provocou dois efeitos. Primeiro, infectou os tumores. Depois, irritou e ‘acordou’ o sistema imunológico das cobaias – que começou a atacar os tumores. Deu muito certo. Em 11 dos 20 ratos testados, os tumores encolheram até se tornarem indetectáveis.

Mais surpreendente ainda, a ‘salmonela do bem’ não intoxicou os ratos. “Acreditamos que a nossa estirpe bacteriana é segura e pode ser usada como tratamento”, afirmou Joon Haeg Rhee, um dos autores do estudo.

Leia também: Proteja seu bicho da salmonela

É claro que mais pesquisas vão ser realizadas antes que as bactérias possam ser experimentadas em humanos. Mas os resultados são promissores e devem entrar para a lista de possíveis tratamentos.

Apesar de causar furor entre os especialistas, a técnica de usar bactérias para estimular uma resposta imune não é nova. No século 19, o cirurgião americano William Coley observou que alguns de seus pacientes tinham uma ligeira melhora depois de contraírem infecções após cirurgias de remoção de tumor.

Ele começou, então, a injetar alguns tipos de bactéria em mais de 1 mil pessoas com a doença. Mas o método recebeu críticas da comunidade científica da época e o tratamento acabou desacreditado antes mesmo de ter a eficácia comprovada.

Agora, quase cem anos depois, o método de Coley volta à tona com pesquisas cada vez mais avançadas no campo de imunoterapia. Esse tipo de tratamento ganha força porque consegue direcionar seus efeitos apenas às células cancerígenas – diferentemente da radioterapia e da quimioterapia, que prejudicam as células saudáveis.

Esta matéria foi publicada originalmente no site da Superinteressante.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s