bichos

Um gato como melhor amigo

Ele é, sim, independente e vaidoso. Dorme a maior parte do tempo e vive ronronando pelos cantos. Mas nada disso quer dizer que não esteja nem aí para você. Ao contrário: adora receber atenção. Não à toa, ganha cada vez mais fãs

por ELAINE MORAES
design LETÍCIA RAPOSO

É no conforto de um lar que vivem 15 milhões de felinos em nosso país. E a estimativa é que essa população doméstica cresça mais 5% até o final de 2008. Em uma sociedade em que as pessoas
trabalham cada vez mais fora de casa, têm pouco tempo e com freqüência moram em apartamento, o reinado absoluto do melhor amigo do homem o cão está prestes a ter um fim. Bolas de pêlo tomam, aos poucos, o lugar de ossinhos de brinquedo. Afinal, o temperamento independente de um gato conta pontos favoráveis nesse mundo agitado e moderno.

É claro que o gato se comporta de um jeito completamente diferente de um cachorro, que não perde uma boa farra, admite a veterinária Mirela Tinucci Costa, professora da Universidade Estadual Paulista, a Unesp. Mas, a seu modo, ele também é muito apegado ao dono. Algumas raças manifestam esse afeto fazendo manha, como o persa. Outras são cheias de energia, como o siamês.

Não importa a raça, porém, todo gato adora a oportunidade de tirar uma bela soneca. Na verdade dorme até 18 das 24 horas do dia. A vantagem é que, por instinto, aproveita para fazer isso quando a casa está vazia. Ou seja, dorme enquanto o dono está fora, diz Mirela. Assim, o bichano não reclama de solidão. E o dono quase sempre o encontra cheio de disposição para afagos e colo.

Diferentemente do que ocorre com o cão, você não tem domínio sobre a rotina do gato, diz Nilton Abreu Zanco, especialista em bemestar animal, que leciona na Universidade Metodista de São Paulo. Mas, esperto, ele se adapta aos horários da casa. O felino também dispensa passeios diários. Ele precisa é de outros cuidados, como verá a seguir.

HIGIENE
Você não precisa ensinar um gatinho onde fazer cocô nem xixi. Por instinto, ele irá direto para a caixa de areia e, depois, enterrará a sujeira. Nem por isso sua casa ficará livre de odores desagradáveis, isto é, se você não mantiver a caixa limpa. Um mito: gato não precisa de banho porque já vive lambendo o corpo. De fato, as lambidas são uma forma de higienização. Mas um banho a cada 15 dias vai bem especialmente para raças de pelagem longa. Aliás, escovar o animal diariamente é importante para evitar nós. E as unhas precisam ser aparadas uma vez por semana.

ALIMENTAÇÃO
A ração deve ser específica para gatos e ficar sempre à disposição dele. E saiba: aquele pratinho de leite das histórias infantis pode ser dispensado. Até porque alguns gatos não digerem bem esse alimento e ficam, isso sim, com uma baita diarréia. Água, por sua vez, deve ser oferecida em abundância e muita atenção! em recipientes largos. Gatos odeiam encostar o bigode nas laterais da vasilha!

VACINAS
Como todo animal de estimação, o gato não deve perder as consultas periódicas ao veterinário, muito menos ficar com a vacinação em atraso. A tríplice felina que o protege contra rinotraqueíte, calvicivirose e panleucopenia precisa ser dada aos 2, aos 3 e aos 4 meses de idade, por exemplo. Aos 4 meses ele também toma a primeira dose de anti-rábica.



dieta dos pontos


sinta seu coração


receitas saudáveis





Rede MdeMulher
Publicidade