medicina

Você sabe o que é um antibiograma?

matéria Saiba usar os antibióticos
Longe do alvo

Esse teste de laboratório identifica com precisão o tipo de bactéria a ser eliminada e norteia a prescrição do médico. Mas vale ressaltar que ele não é indispensável. Muitas vezes o médico é capaz de definir o tratamento somente com base na análise clínica e no histórico do paciente. Porém, quando a infecção dá margem a duvidas ou quando é um caso difícil de tratar, o antibigrama é um recurso auxiliar no diagnóstico. 

"Para realizá-lo, o profissional orienta a coleta de material biológico representativo da lesão, que pode ser uma amostra de escarro, saliva, secreção, urina, fezes etc", explica o médico Augusto Cezar Montelli, autor do livro Antibioticoterapia para o Clínico. É importante que esse material seja coletado antes do início da administração do antibiótico. Porém, o médico não precisa esperar o resultado para estipular o remédio. Se necessário, ele fará alterações no tratamento posteriormente.
O material colhido é cultivado em um meio propício para o crescimento e a multiplicação do microorganismo. Então, os germes-alvos, determinados de acordo com as suspeitas do especialista, são isolados e submetidos, em laboratório, à ação de diversos antibióticos. O resultado indicará quais as drogas mais eficazes para combater a bactéria em questão.

 

QUAL O ANTIBIÓTICO IDEAL?

Só quem sabe responder a essa pergunta é o médico, com base na análise dos seus sintomas ou em resultados de testes complementares.
A dose do remédio é definida de acordo com a gravidade da infecção, o órgão acometido, as condições de saúde do paciente e o tipo de micróbio. "Existem bactérias gram-positivas e gram-negativas. As que se enquadram no segundo grupo possuem uma membrana a mais e, portanto, são mais resistentes", explica a infectologista Thais Guimarães, do Hospital do Servidor Público



dieta dos pontos


sinta seu coração


receitas saudáveis





Rede MdeMulher
Publicidade