bichos

Queda de pêlos nos cães

No calor, não é fácil manter saudável a pelagem desta golden retriever. É no verão que algumas doenças atacam, causando a queda de pêlos

Não há nepotismo na redação da SAÚDE!, mas Naná, a cadela que posou para a foto, pertence a Lúcia Helena de Oliveira, diretora da revista. E, poucas semanas atrás, desfilava pelas ruas careca e cheia de casquinhas de machucado. As pessoas olhavam com o maior receio. "O aspecto era de espantar porque a gente não saía com uma plaquinha avisando que aquilo não passava para outros cachorros, muito menos para outros seres humanos, né?", diz Lúcia.

Começou com uma ferida na pata, mas logo surgiram outras. Os pêlos despencavam em tufos. Os que não caíram por conta própria tiveram de ser raspados. Um horror... Ela logo descobriu que muitos outros cães e donos de cães estavam passando pelo mesmo apuro por causa do calor da estação. Daí a idéia desta reportagem.

Segundo o veterinário Paulo Cesar Conelian, da clínica Pet Pontaporã, em São Paulo, sua paciente Naná foi acometida por uma piodermite superficial úmida. Traduzindo: No verão, a umidade é maior, o que propicia a multiplicação de bactérias que vivem no corpo do animal. Aí, basta uma picada de inseto ou uma alergia que traumatize a pele e pronto! O bicho lambe e coça o local, deixando-o vulnerável ao ataque dessas bactérias oportunistas, explica.

Mas essa não é a única ameaça do calor. Doenças provocadas por fungos, protozoários, parasitas e vírus mais comuns nesta época também predispõem o organismo à invasão inimiga (veja o complemento). Surgem pústulas, crostas e vermelhidão, detalha a dermatologista veterinária Tatiana Borges, do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo.Outra ameaça é a foliculite, que não poupa bichos peludos gatos incluídos. A infecção agride o folículo piloso, orifício de onde nasce o pêlo. Sem se sustentar, ele cai, descreve o veterinário Marcos Eduardo Fernandes, de São Paulo. Nesse caso, claro, a pelagem também fica cheia de falhas.

Com a temperatura nas alturas, o que se pode fazer é diminuir o risco dessas encrencas. Quando aparecem, é preciso ter disciplina para dar antibióticos e antiinflamatórios, lavar a região com xampus anti-sépticos e, sim, tosar o animal nas áreas mais afetadas. Para completar o tratamento, uma boa dose de paciência até que os pêlos ressurjam, saudáveis e brilhantes como os da Naná.

Por que os pêlos caem?

1 - Quando encontram condições favoráveis de umidade, bactérias que vivem naturalmente na pele se multiplicam demais. O crescimento populacional deflagra a coceira.

2 - O bicho se lambe para aliviar o prurido. Mas isso provoca feridas, que se rompem. Daí, sob o pêlo, começam a surgir grandes crostas de machucado.

3 - A inflamação pode se agravar com micróbios oportunistas. Sem contar que agride a raiz do pêlo. Ele, então, cai.

Afaste o risco de queda de pêlo

>> Mesmo que o animal já tenha passado pela consulta de rotina, repita a visita ao veterinário se notar que ele anda se coçando muito ou que foi picado por inseto.

>> Mais do que nunca, evite perfumes e produtos de banho que não sejam específicos para animais.

>> Não se engane com a idéia de que, no calor, quanto mais banho, melhor. Dê um só por semana. O excesso de lavagens retira a gordura que protege a pele.

 



dieta dos pontos


sinta seu coração


receitas saudáveis





Rede MdeMulher
Publicidade