bem-estar

Jogos para adultos desenvolverem a mente

Games que treinam o seu cérebro
Mais que divertidos, uma nova geração de jogos promete melhorar a memória, desenvolver o raciocínio e aumentar a capacidade de adquirir novos conhecimentos
por Anderson Moço | design Thiago Lyra | Ilustrações Cellus

Foi no Japão, berço das novidades tecnológicas, que nasceu em 2003 o primeiro desses joguinhos, o BrainAge, da Nintendo, para DS, seu game portátil (você já deve ter visto alguma criança ou adolescente com um na mão). Em pouco tempo o jogo cabeça virou mania. Pudera. O fabricante espalhou aos quatro ventos que não se tratava de mera diversão, mas sim de um instrumento capaz de aumentar a capacidade cognitiva, a memória e o raciocínio.

Aqui no Brasil ele só passou a ser encontrado este ano. Desenvolvido especialmente para os adultos, ele propõe desafios como solucionar problemas matemáticos, mas também permite amenidades, como desenhar livremente sobre a tela ou ler clássicos literários,ao microfone. O criador do BrainAge é o neurocientista Ryuta Kawashima, que ficou famoso na terra do sol nascente ao vender milhões de cópias de um livro sobre desenvolvimento cerebral. O curioso é que o especialista é também o personagem principal do BrainAge, responsável por conferir os resultados e, baseado neles, dar uma idade cerebral ao jogador.

A base teórica do jogo leva em conta a tese, amplamente aceita, de que o cérebro é como um músculo que precisa ser exercitado para se manter forte e saudável. "Estamos falando de atividades mentais que instigam a criatividade", explica o neurologista Benito Damasceno, da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp. Ele engrossa o coro dos que acreditam que a leitura, passatempos como palavras cruzadas, exercícios de matemática e a resolução de problemas de lógica servem como verdadeiros halteres para a massa cinzenta.

Tudo isso é ainda mais importante para quem já chegou aos 60 anos. "Dá para evitar a perda de cognição que em geral surge com a idade", revela o psiquiatra Aderbal Viera, da Universidade Federal de São Paulo, que acha legal a possibilidade de os mais velhos se divertirem — ou se exercitarem — com um game portátil. O sucesso da Nintendo com a iniciativa foi tanto que hoje não faltam concorrentes. "Há variações do jogo para consoles de diferentes empresas, como o MindFit do Windows", conta Roger Tavares, professor do curso de pós-graduação em videogames do Senac de São Paulo. "Isso sem falar em outros tantos games com a mesma finalidade que surgiram na internet."



dieta dos pontos


sinta seu coração


receitas saudáveis





Rede MdeMulher
Publicidade